SITUAÇÕES QUE DESPEDAÇAM O CORAÇÃO DE UMA FARMACÊUTICA

Quando me pedem para dispensar um antibiótico sem receita médica, e, perante a explicação do motivo pelo qual

não o posso fazer, viram as costas e praguejam “então vou a outra farmácia!”.

  • Quando nos confidenciam que deixaram de tomar o medicamento X, Y ou Z porque leram o folheto informativo ou fizeram uma pesquisa na net e agora “sabem” todos os possíveis efeitos que a substância podia causar. Como resultado de todo esse conhecimento, e SEM consultarem o médico, decidiram simplesmente abandonar o tratamento.
  • Quando tiram do bolso um papelinho escrito com o nome do medicamento que o vizinho está a tomar e querem à força comprar para começar também a tomar porque “vai com certeza fazer-lhe bem também!”, independentemente do nosso conselho.
  • Quando não tomam o medicamento porque (como confirmamos depois de contactar meio mundo e arredores) ele está esgotado em todos os armazéns, laboratórios e nas farmácias vizinhas…
  • Quando pedem o livro de reclamações porque não aceitámos a devolução de um medicamento, apesar da explicação acerca da importância da garantia e das condições de armazenamento. É que seria pôr em risco a saúde de todos!
  • Quando se emocionam diante de nós porque perderam uma pessoa querida e a dor fica no nosso peito durante dias.
  • Quando damos medicamentos a quem não tem dinheiro para os comprar e ficamos a pensar que naquela casa deve faltar muito mais.
  • Quando a doença vence uma pessoa querida que já “fazia parte da mobília da farmácia”.

Pedido especial : Quando estiver com o seu farmacêutico de família dê-lhe um abraço e diga-lhe o quanto é importante para si, porque há dias que precisamos de um mimo extra 😉

Fotografia Rita Ferro Alvim

  1. Ana Maria Ramos Neves says:

    Concordo com todas as situações, mas também me despedaçou o coração um pai com a sua filha de 6 anos de idade diabética , que procura por um sensor Freestyle Libre porque a menina tem os dedos das mãos doridas de tantas picadas… e nós não lhe conseguimos dispensar um, apesar de ter 50 encomendados à mais de 4 semanas.

    • Luisa Leal says:

      Cara Ana Neves agradeço o seu comentário, é uma realidade com que nos deparamos na farmácia, que nos preocupa muito e comove.
      Um abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.