HIDRATE-SE !

Beba água !

A água é o principal constituinte do corpo humano, constituindo mais de metade do nosso peso. Para uma imagem engraçada (e não completamente destituída de verdade), podemos pensar que cada uma das nossas células é um saco de água microscópico. Por isso mesmo, a água é essencial a todas as funções vitais do nosso corpo. No entanto, há algumas funções que são mais afectadas pela falta ou excesso de água: a regulação da temperatura, a digestão, a circulação sanguínea e o sistema urinário. Sem água, o coração e os rins deixariam de funcionar.

Toda a gente sabe como é que a água entra e sai do organismo: quando é bebida e quando é urinada respetivamente. Mas isto representa apenas uma parte de toda a água que vagueia entre o nosso corpo e o meio externo. Perde-se água pelas fezes, pelo suor e até pela respiração… E há pouco que possamos fazer quanto a isso! Por exemplo, mesmo que eu decidisse não fazer desporto para não suar e dessa forma não perder água (o que obviamente é uma péssima ideia fora deste cenário hipotético), mesmo assim perderia água por transpiração, mesmo que não sentisse o suor líquido na pele.

Uma vez que a água é um componente tão importante para a nossa vida, também o controlo da sua quantidade está muito bem “automatizado”: temos muitos mecanismos para diminuir as perdas de água em caso de desidratação, e um mecanismo muito importante para aumentar a quantidade de água no nosso corpo: a sede. Em situações normais, beber água quando se tem sede é suficiente. O problema surge quando não nos apercebemos que estamos com sede.

Por isto mesmo, as crianças, os idosos e doentes crónicos são os grupos de pessoas mais susceptíveis de perder água sem se dar conta e assim ficarem desidratados graças pouca ingestão de água em diversas situações.

Para quem não experimentou desidratação em primeira mão, alguns dos sintomas que ocorrem quando a situação se começa a agravar são:

  • Tonturas ou dores de cabeça.
  • Fraqueza muscular ou cansaço
  • Lábios, pele e olhos secos
  • Urina amarela escura e com um cheiro forte

Dica: a urina é uma boa forma de controlar o estado de hidratação. Se numa visita ao quarto-de-banho reparar que a urina está mais escura que o normal, então é um bom indicador para beber uns copos de água. Isto não é uma super-dica porque não funciona sempre, e existem várias maneiras de estar desidratado sem ter urina escura (por exemplo, com diabetes), e várias maneiras de ter a urina escura sem estar desidratado (com certos alimentos, medicamentos ou outros problemas de rins). Considere-se isto apenas como um conselho para o dia-a-dia.

O melhor é prevenir 

  • Beba água: muita da água que precisamos de ingerir vem já nos nossos alimentos (eles, tal como nós, têm um elevado conteúdo de água). Mas apesar disso, é importante que não ignore a sua sede e beba quanto sentir vontade. Cerca de 2 litros por dia é uma média mais ou menos habitual, mas cada pessoa tem necessidades diferentes.
  • Não se esqueça de hidratar quando praticar actividade física. Mas não demais! Beber água a mais e praticar desporto intenso pode levar a situações de hiponatrémia, uma espécie de “envenenamento por água”. O que é importante é repor a água e os sais minerais que são perdidos durante o exercício, e para isso basta beber de forma moderada, sem exageros.
  • Se tiver vómitos e/ou diarreia, ingira água (pequenas quantidades de cada vez) ou recorra a soluções de rehidratação oral, disponíveis em farmácia, que ajudam a repor os níveis de água, sais minerais e açúcar.
  • Assegure a hidratação de todos, incentivando a ingestão de líquidos durante as refeições. Atenção aos idosos e às crianças que com frequência se “esquecem” de beber.
  • Aposte em alimentos com muita água: sopas, gelatinas e frutas, como a melancia, ou águas aromatizadas feitas em casa. São uma óptima forma de regular a nossa temperatura corporal e ao mesmo tempo hidratar e alimentar. É um 3 em 1!

ATENÇÃO: Procure um médico se não conseguir tolerar a ingestão de líquidos, se tiver diarreia ou vómitos por 24h ou mais, se sentir cansaço extremo ou desorientação e/ou se sentir o pulso muito rápido e fraco.

A água é essencial à vida e por isso temos que lhe reconhecer a devida importância. Hidrate-se! Mas mais importante do que contar mililitros ao longo do dia é mesmo prestar a devida atenção aos sinais que o nosso corpo nos dá e não ignorar a sede.

Em caso de dúvida pergunte à sua farmacêutica 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.