É tudo uma questão de … estratégia

Há meia dúzia de dias, fui com a minha mais pequena para a conservatória do registo civil, com o objectivo de renovar o cartão de cidadão.

Quando chegámos o tamanho da fila já impunha respeito, e logo percebi pelas conversas cruzadas que algumas pessoas estavam acampadas à porta desde madrugada, para conseguirem uma senha/ bilhete para o festival da documentação.

Como já lá tínhamos estado no dia anterior para tentar a nossa sorte, fui precavida com um chapelinho para a miúda por na cabeça enquanto tostávamos ao sol e esperávamos pacientemente pela abertura das portas.

Assim que entrámos fomos logo informadas que a máquina de senhas estava fora de serviço assim como todo o sistema de chamada. Quando recebi uma senha soltei um “uau!” envergonhado porque o número era inferior ao do dia anterior, e como tal esperava ter menos de metade das pessoas à nossa frente.

Na sala de espera já não havia lugar na tenda VIP na zona dos lugares prioritários, tanto que alguns dos convidados / prioritários tiverem de vir ocupar a plateia. Para nós estava reservado um lugar em pé com visibilidade reduzida numa zona apinhada.

Estava um calor de estrelar ovos na calçada e como não levei protector solar, toalha e o guarda-sol, esperar na rua estava fora de questão.

Senti que estava mais perto do palco quando ao fim de alguns minutos chamaram a senha n 1.

Ao fim de algum tempo, percebi que a ordem de senhas não era linear, porque começaram a surgir convidados VIP já depois do concerto ter começado.

Prioritário, como em: “aquele que goza de uma prioridade sobre os outros”, com todo o direito de o fazer, por isso respirei fundo ao perceber que afinal tinha o dobro das pessoas à nossa frente.

A impaciência, a quantidade de gente, a má educação, e o calor que estava na sala fez estalar uma guerra no grupo dos prioritários, quem passa primeiro à frente de todos? A grávida, a criança ou a senhora da bengala?

Não tardou para o grupo dos não prioritários começar a dar sinais de desconforto, manifestando e questionando, se aquela ou a outra pessoa era realmente VIP ou se estava a abusar do direito à prioridade, como aqueles e outros pais que levaram o bebé para tratarem de documentos para os próprios, se aquela ou a outra estava realmente grávida ou “mais cheiinha”. E por ai fora …

É incrível como nestes lugares nascem como cogumelos especialistas em barrigas de grávidas.

Apesar de pertencer ao grupo dos detentores da senha “espera e não chora!” procurei ver a parte positiva da coisa, é bom não ser uma VIP. Passo a explanar o meu raciocínio: ando pelo meu próprio pé e bem, sou independente e não preciso da ajuda de uma muleta; já não há bebés no berço, acabaram-se as fraldas e tal e coisa, agora ao fim de alguns anos já consigo estabelecer uma conversa com os meus piquenos, e até passar um fim-de-semana fora os dois. Bebés agora só os meus sobrinhos ou os dos amigos, e gravidezes já foram quatro e estou bem resolvida, obrigada.

Se senti uma pontinha de Inveja? Sim, de quem estava na fila para tirar o passaporte para ir de férias, e das pessoas que na sua calma afirmavam – “tenho tempo de sobra, a minha senha é a cento e tal mas posso esperar, estou reformado”. Tive quase para lhes pedir umas horinhas emprestadas, porque a mim as minhas 24 não chegam.

Estivemos cerca de seis horas para fazer o bendito CC para a miúda poder matricular-se na primária.

Mas este episódio não termina aqui.

Quando saímos, depois de tropeçar numas pedras soltas da calçada, esbardalhar-me ao comprido no chão e rogar pragas à camara municipal, a Mada pergunta-me com todo o seu amor: “mãe, o telemóvel partiu-se?”. Obrigada querida filha, eu estou bem! Por outro lado depois desta desfeita pude contemplar um suposto milagre quando vi uma senhora VIP (que passou o concerto a coxear) sair do recinto sem qualquer dificuldade, com a bengala debaixo do braço.

Apesar desta visão, é um dever de todos respeitar os prioritários e as prioridades, porque a chico-espertice sempre houve e haverá, mas isso fica na consciência de cada um.

Pela minha parte, vou modificar a estratégia para meia-dúzia de clicks ou uma chamada para agendar as duas próximas renovações.

Sobre prioridades ler AQUI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *