10 CUIDADOS PARA TER O CABELO SAUDÁVEL

Aqueles rolinhos e pequenos nós de cabelos que se encontram pelo chão e na escova do cabelo em tufos exasperantes são como a cereja no topo do bolo de stress do mês.

Não estamos no Outono (ou seja, não há queda da “folha”), e não há bebés no berço (nem hormonas associadas que me façam perder a linda cabeleira) e, no entanto, lá vou apanhando um e outro cabelo, numa busca capilar que honestamente dispensava… Mas eu sei: é consequência do cansaço e do stress que tem sido a minha vida de há um mês para cá.

Perder cabelo é normal, cada cabelo tem o seu ciclo de vida, durando mais ou menos 3 anos. Depois, acaba por cair e ser substituído por outro. A toda a hora temos sempre uma parte de cabelos “jovens” em crescimento, “adultos” em repouso e “velhos” em queda.

A sazonalidade (outono), o parto, o “stress“, o cansaço, alguns medicamentos e doenças, são alguns dos factores que podem desencadear uma alteração do ciclo do cabelo, fazendo com que uma maior parte dos nossos cabelos “envelheçam” e caiam cedo demais.

Para além disso, existem ainda vários hábitos que podem ter um impacto significativo, danificando e acelerando a queda, ou, por outro lado, fortificando e prolongando o ciclo dos cabelitos para que não caiam.

Aquilo que costumo aconselhar é algo deste género:
  1. Escovar o cabelo antes da lavagem, de preferência com uma escova de cerdas naturais e suaves;
  2. Aconselhar-se com o seu farmacêutico sobre os produtos mais indicados para o seu tipo de cabelo, evitando produtos de higiene capilar inadequados ou que contêm substâncias e detergentes que possam ser mais agressivos;
  3. Lavar o cabelo com água morna, e não fria nem a escaldar;
  4. Retirar o excesso de água antes de secar, e, para isso, usar o secador a uma distância de 15 cm com uma temperatura média e, uma vez mais, sem escaldar;
  5. Evitar os adornos penteados que exerçam muita tensão no cabelo (tais como ganchos, molas e elásticos que puxam com muita força);
  6. Moderar tintas, permanentes e alisamentos;
  7. Proteger o cabelo das agressões externas como o vento, a poluição, e o cloro da piscina;
  8. Aplicar um protector solar especifico para o cabelo, isto em caso de exposição prolongada ao sol;
  9. “Alimentar” o cabelo, por fora com os produtos “nutritivos” que o seu farmacêutico pode aconselhar;  e por dentro, também muito importante, fazendo uma dieta equilibrada!
  10. Consultar um dermatologista se se notarem alterações no couro cabeludo ou na frequência de queda.

Em caso de dúvida pergunte à sua farmacêutica 😉

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.