Um pai, a bebé, as sopas e papas…

Cinco meses acabados de fazer, chegou a hora da nossa bebé iniciar a degustação de novos alimentos.

Gostávamos de dar exclusivamente leite materno até aos seis meses… mas, não foi possível porque além de a mãe ter de regressar ao trabalho, a nossa filha recusou sempre o biberão.

Tentámos todas “as habilidades” para que aceitasse o biberão com o leite materno: 

Leite morno, escaldado, congelado e acabado de extrair. Experimentámos diferentes biberões e uma panóplia de tetinas passaram pelo esterilizador. Diferentes locais, com a mãe, o pai, a avó, o avô e a vizinha. Só faltou o gato, tudo  em vão pois  nada de biberão!

Todos os esforços  infundados previam que a próxima etapa fosse tenebrosa…

Mas,”arregaçámos as mangas”, seguimos em frente sem hesitações e “estudamos” as indicações da pediatra.

Como todos os pais, queremos o melhor para a nossa bebé e por isso escolhemos alimentos que fossem preferencialmente de origem biológica. Hoje em dia devido ao aumento da procura deste tipo de alimentos a oferta é maior e cada vez mais acessível.

Começámos pela sopa de batata, cenoura e azeite cru. Seguido da fruta, demos pêra ou a maçã cozida.

O esquema alimentar que estamos a seguir baseia-se: na introdução de um novo legume ou fruta por semana, para conseguirmos despistar possíveis alegrias e intolerâncias alimentares.

Dois dias após a introdução da sopa a minha filha começou a ter “dificuldade em “fazer cocó”. Conversámos com a pediatra que sugeriu:

Alterar as quantidades dos alimentos mas manter a ordem de proposta. Se não resolvesse recomendou um produto de saúde para repor o funcionamento normal dos intestinos.  A situação normalizou e tudo parecia perfeito.

Comia muito bem a sopa e a fruta. Apesar de notarmos que ficava satisfeita depois de comer, pensámos aumentar o valor nutricional das refeições. Como a alimentação era pobre em fibras decidimos introduzir a courgette com casca porque melhoraria o trânsito intestinal também. Esta “ideia” resultou num episódio de diarreia…e foi imediatamente abandonada!

Passaram duas a três semanas, e introduzimos uma nova refeição: a papa.

Mais uma vez preocupados com o melhor para a bebé, escolhemos uma opção sem açúcares adicionados e biológico. Esta refeição é preparada com o leite materno e às vezes adicionamos fruta porque também gosta.

Um mês após a introdução da sopa começamos a prepará-la com carne. E, até agora é o seu prato favorito!

Em caso de dúvida contacte a sua farmacêutica 🙂

Fotos de Daniela Sousa Photography

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *