Um aniversário especial sem glúten

Este fim-de-semana a Mada fez o seu “début” na vida social: foi convidada para a festa de aniversário de um amiguinho.

Todos os dias antes de dormir lá me perguntava se já tinha confirmado a sua presença. Por fim, no dia D depois de deixar o Quico e a Te nas actividades respectivas, levei-a ao seu evento.

Apesar de protestar contra a vida social tão activa da minha escadinha (Quico, Te, Mada), confesso que estou a aproveitar cada momento do fascínio que ainda têm pelos insufláveis e trampolins, paintball, pinturas faciais e afins. Porque daqui uns anos as festas já serão outras.

Quando cheguei à festa assisti a um pequeno episódio, tão bonito, que me fez parar e ficar a pensar nele até hoje, altura em que decidi partilhá-lo.

Apesar de andar sempre a correr o pneuzinho da barriga continua no mesmo sítio, e as coisas que realmente contam por vezes passam-me ao lado.

Há mães que pelos seus pequenos grandes gestos merecem a minha admiração e um OBRIGADO (com letras maiúsculas).

É o caso da Madalena, a mãe do aniversariante, que tinha preparado para uma convidada de palmo e meio, uma mesa muito especial com tudo o que há de bom, salgadinhos e bolinhos, homemade e sem glúten.

Não vou esquecer a expressão de felicidade da pequena Maria, nem a de alívio do seu pai, quando a anfitriã lhes disse que tudo o que estava naquela mesa tinha sido feito a pensar nela, como se da aniversariante se tratasse.

A Maria tinha doença celíaca, que é uma doença autoimune dependente da interacção de factores imunológicos e genéticos com a alimentação – ingestão de glúten, uma proteína presente em cereais como o trigo, a cevada, o centeio ou a aveia.

Como as proteínas do glúten não são bem toleradas, provocam inflamação na mucosa intestinal, traduzindo-se em desconforto abdominal, obstipação e cólicas.

O tratamento é simples: consiste apenas em retirar da dieta todos os alimentos com glúten.

A doença celíaca pode ser uma situação bastante severa, impedindo a absorção de muitos nutrientes essenciais.

No entanto, pode existir um tipo mais suave de intolerância ao glúten, que não está tão bem caracterizado, mas que pode ainda assim ter alguns sintomas em comum.

Desta forma, quando há suspeita de algum tipo de intolerância ao glúten deve consultar o seu médico de família para um diagnóstico correcto: afinal de contas, pode não ser necessário correr para tirar todo o miligrama de glúten de toda a alimentação…

Para saber mais sobre a Doença Celíaca leia AQUI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *