Se for ao Pico Ruivo não se esqueça de…

Olá, o meu nome é António e sou técnico de farmácia. Na nossa área profissional ouvimos e aconselhamos diariamente as pessoas que nos trazem as suas variadíssimas questões relacionadas com saúde. Aquelas que despertam mais o meu interesse são sempre as que estão associadas ao stress e a fadiga mental. Isto porque gosto de passar parte do meu tempo livre a descontrair e a relaxar no seio da Natureza. Num mundo tão instrumentalizado pela tecnologia, nada melhor que desfrutar de um passeio por aquilo mais belo e natural que podemos encontrar, ou simplesmente um desafio, pelos rios, pelas florestas e pelas serras para nos fazer sentir verdadeiramente vivos!

Hoje partilho com vocês aquilo que me fora ensinado quando era mais novo pelos meus amigos e familiares, bem como aquilo que o meu conhecimento académico me ajudou a complementar. Vou estar de visita ao Pico Ruivo, na Madeira, ainda este ano, e acho que é extremamente importante ir bem preparado, considerando os possíveis riscos e a altitude desta montanha. Indispensável, claro está, é o paracetamol. Para além de ser um dos melhores analgésicos disponíveis sem qualquer tipo de prescrição médica a mais baixas dosagens funciona também como um anti-pirético em caso de feridas com lacerações, onde existe um claro risco de infecção. Por falar em infecções, nunca é demais referir um creme cicatrizante, para tratar com relativa simplicidade ligeiras infecções tópicas, particularmente útil para evitar situações mais desconfortáveis a nível das mãos ou dos pés. Dado a atmosfera áspera e as condições biológicas que podem ser encontradas em montanhas, a cetirizina, em particular na sua formulação oro-dispersível, é uma óptima escolha como anti-histamínico para eventuais reacções alérgicas (ou mesmo picadas de insectos/animais). Para evitar surpresas causadas por partículas químicas (i.e. poeira) que possam causar alguma irritação ocular deve-se sempre ter gotas com ácido hialurónico para manter o olho limpo e lubrificado. Para evitar o aparecimento ou erupção de bolhas causadas por fricção nos pés (dada a possível longa caminhada que se possa vir a fazer), basta ir aplicando Vaselina Purificada ao longo do dia. Para os mais corajosos e audazes na sua alimentação, é fundamental que tenham sempre consigo Carvão Activado – poderá fazer toda a diferença em caso de intoxicação alimentar . E claro, falta somente referir o mais clássico de todos! A iodopovidona para desinfectar feridas, sempre que se justifique.

Espero que  a informação partilhada vos possa ajudar a melhorar a vossa experiência em montanhas e serras quando o decidam fazer num futuro próximo. Lembrem-se que é uma experiência formidável, não só pela experiência e convívio pessoal que temos com outras pessoas, como também é uma excelente forma de nos afastarmos do stress diário e recuperar energias para enfrentar o nosso dia-a-dia. Boas caminhadas (ou escaladas)!

Fotografia Pau Storch

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *