Rabinhos assados, cuidados e miminhos

Há pessoas que é pela proximidade geográfica que se tornam mais do que “utentes habituais”. E não é que tenhamos preferência por uns em detrimento dos outros (gostamos de todos!), mas há algo de especial nas relações que se criam com aquelas pessoas que vêm de longe para nos visitar. Há sempre lugar para um beijinho, um aperto de mão, um abraço sentido, um cesto com limões e nêsperas do pomar, um licor caseiro para acompanhar as amêndoas na Páscoa, caixas de bombons e azevias feitas em casa no Natal. Coleccionamos livros escritos e autografados pelos próprios com direito a dedicatórias especiais na primeira página. A porta do nosso mini frigorífico está colorida com ímanes e colecionamos Postais afixados no placard que nos remetem para os lugares onde foram passear. Todos estes mimos levam-nos a acreditar que fazemos parte da vida de quem nos entra pela porta e o carinho é reciproco.

A Mónica não mora ao virar da esquina nem no nosso bairro, veio pela primeira vez à farmácia no primeiro sábado que começámos a abrir à tarde. Estava a caminho de casa das tias para um lanche em família quando parou o carro junto à porta e entrou com a sua bebé ao colo e a mais velha pela mão. Começou por pedir um creme para o rabinho da sua bebé pois estava a ficar vermelho e choramingava quando a limpava durante a mudança das fraldas. Estava muito preocupada porque a sua filha mais velha por volta dos sete meses começou por ter os mesmos sintomas que depressa se agravaram. Na altura, a irritação deu lugar a bolhas e fissuras que a levaram a recorrer às urgências.

Durante a conversa percebi que tinha começado a introduzir os sólidos na dieta da bebé há três dias sendo provavelmente essa a causa da inflamação no rabinho. Os novos alimentos alteram a composição das fezes tornando-as mais agressivas para a pele do bebé.

Se a sua bebé ficar com a fralda molhada ou suja durante muito tempo vai favorecer o contacto prolongado com a urina e fezes sendo uma das causas para o aparecimento ou agravamento da inflamação e vermelhidão.

Expliquei à Mónica alguns cuidados básicos como a mudança frequente da fralda e a lavagem com água tépida a cada muda. Evitando de todo os produtos com constituintes demasiado activos e as toalhitas com álcool e perfume, porque são agressivos para a pele sensível da bebé.

Após a lavagem reforcei a importância de secar com uma toalha macia dando especial atenção às pregas, pois são um local onde há acumulação de humidade.

Para tratar a irritação e reforçar a protecção da zona da fralda usar uma pasta de água adequada.

Na semana seguinte voltou à farmácia para agradecer os conselhos pois  a bebé já tinha recuperado  sem complicações. Além de estar mais atenta aos sinais, os cuidados durante a mudança da fralda tornaram-se rotina.

Dia a dia, passo a passo, e sem darmos por isso a Mónica agora chega a passar pela farmácia só para dizer um olá, ou dar dois dedos de conversa. Ainda não é parte da mobília, mas já aparece para jantar sem avisar e é sempre uma excelente convidada

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *