Mensagem de uma filha para o pai

“Querido pai ainda sinto as cócegas do pauzinho de gelado nos pés enquanto sacudias minuciosamente a areia depois de uma manhã de brincadeira na praia. Naquele domingo a toalha ficou esquecida em casa.

A tua capacidade de improvisação e os nossos risos fazem parte das minhas memórias de miúda.

-Lembras-te?

Passavas muito tempo fora, em trabalho, mas naquele dia ficastes a tomar conta dos teus “pintainhos” como tu nos costumavas chamar.

O mano pequenino não queria comer a papa e tu lançastes aviõezinhos de papel no céu da cozinha.

No dia do  nosso aniversário almoçávamos contigo no Chiado. As meninas podiam escolher um vestido e os meninos uma fatiota nova.

Esperava o ano inteiro por este dia, era tão bom não ter que dividir a tua atenção com os manos.

-Lembras-te pai?

Adorava nadar, cada vez que caminhava em direcção à beira-mar, a mãe ficava com o coração em alvoroço.

Não podias ter escolhido melhor truque para meteres-me medo. Pegavas-me ao colo “até às nuvens” e atiravas-me para as ondas. Quando vinha à tona gritava de felicidade: “mais pai, mais pai!”

-Tinha quatro ou cinco anos lembras-te?

O teu beijinho de boa noite era um “ataque de cócegas”. Adormecia sempre a sorrir por dentro.

À noite quando deito os teus netos pedem-me sempre “um beijinho à avô”.

Hoje pedi-te boleia.

Fiquei à tua espera.

As horas começaram a passar e tu não aparecias.

-Pai onde estás?

…Esqueceste-te onde estacionaste o carro.

Fiquei sem chão, senti-me culpada por pensar que ainda podias cuidar de mim quando agora eu é que devia olhar por ti.

Quero manter-me serena  quando “estes episódios” voltarem a acontecer,mas é difícil quando se vive em constante sobressalto.

Estamos a aprender a viver com o teu novo “eu”.

Agora levo-te  a passear à praia bem cedo como tu gostas.

Pai, não te preocupes porque as tuas recordações estão bem guardadas comigo.

Além disso estou a ensinar os miúdos a improvisar.

-Lembras-te? Aprendi contigo.”

 

Há esquecimentos e esquecimentos…

São o primeiro sinal de alerta mas com algum cuidado é possível distinguir os patológicos dos que são próprios da idade

Doente com Alzheimer
  • Esquece detalhes significativos ou toda a situação em causa
  • Raramente recorda a informação mais tarde
  • Sente-se gradualmente incapaz de seguir indicações
Idoso
  • Esquece pormenores pouco importantes
  • Recorda a informação mais tarde
  • Normalmente, é capaz de seguir indicações

É importante a detecção precoce da doença de Alzheimer na sua evolução e no prolongamento da qualidade de vida da pessoa doente e dos seus familiares

O seu farmacêutico de família conhece esta realidade e está disponível para o ajudar na identificação de eventuais sinais de alerta, no encaminhamento para uma consulta médica e nos cuidados a ter com o tratamento.

Em caso de dúvida pergunte à sua farmacêutica 🙂

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *